Um pouco sobre Prána

Se você pratica Yoga, provavelmente você já teve ouvido sobre o Prána. Para os que estão iniciando o contato com este termo. Tentei trazer esse conteúdo de uma forma bastante resumida, que talvez seja um convite para que futuramente aprofundem seus estudos.


Prána com P maiúsculo é o nome que se dá a bioenergia que permeia tudo que é vivo. É o nome genérico que se dá a qualquer forma de energia manifestada biologicamente, ou seja, o que diferencia um ser inaminado de um ser vivo, é a ausência ou não de Prána. Podemos encontrar Prána no ar que respiramos, na água que bebemos e nos alimentos que ingerimos. Quanto maior quantidade de Prána numa pessoa, mais disposição, vitalidade e saúde ela terá.


Quando o Prána penetra no nosso corpo físico, ele adquire cinco divisões chamadas de vayus: prána (com p minúsculo) , apána, udána, samána e vyána.



Os Cinco Tipos de Prána


Cada vayu pode ser interpretado com uma manifestação específica e cada um possui as suas respectivas funções e movimenta-se em cada parte específica do corpo, vamos a elas:


1 ° Tipo : prána (Força que move para frente)


Esse é o prána com p minúsculo, a sua função é abastecer energeticamente o corpo, regula os processos de absorção e se localiza na região do peito. Possui relação direta com a inspiração.


2° Tipo: apána ( Força que move para fora)


Sua função é excreção e eliminação, controla os processos que envolvem excreção de sêmen, urina e fezes, e eliminação de dióxido de carbono na respiração, menstruação e nascimento, localiza -se na região do ânus, e possui relação direta com a expiração.


2° Tipo : udána (Força que expulsa)


Sua função é deglutição, como também a energia para a fala. Localiza sua distribuição na região do pescoço.


3° Tipo: samána (Força que equilibra)


Sua função é para a digestão dos alimentos, situada na região do abdômen.


4° Tipo : vyána (força que move para fora)


Sua função é manter o sistema circulatório funcionando, movimenta-se do centro para a periferia, entre tronco e os membros. Diferente dos demais, vyána não se concentra numa parte específica do corpo, mas está presente em todo organismo, uma vez que faz parte do funcionamento de todo aparelho circulatório.


Quando um desses Pránas se acumulam em excesso em uma área que não é o seu local de atuação, há um desequilíbrio e surge a doença. Várias técnicas do Yoga como pránáyámas, ásanas e kriyas promovem o redirecionamento do fluxo natural de energia. A partir daí já dá para se ter uma ideia sobre o porque nos sentimos tão mais vitalizados após praticarmos o Yoga.


Referências deste artigo:

Respiração, Yoga e Autoconhecimento, de Daniel Tonet.

Secrets of the five pranas , de David Frawley.

Tratado de Yoga , DeRose.

26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo